Maternidade Tudo e Nada

Loucas são as noites que passo sem dormir*

Sabem aquelas pessoas que dizem que só precisam de dormir 4 horas e conseguem trabalhar? Ou que dizem que podem andar dias a fio sem dormir bem e recuperar tudo no fim-de-semana? Ou que não gostam de dormir muito? Ou que acham que as manhãs são para se começar cedo e com trabalho? Eu NÃO sou assim. De todo. Eu gosto de dormir. Eu gosto de dormir muito. Pior, eu preciso de dormir muito. Tiram-me horas de sono e eu só faço porcaria. Fico com uma memória terrível. Fico sem vocabulário, pareço o Trump a falar. Fico triste, deprimida. Nada para mim é tão exigente na maternidade como ter que funcionar (e às vezes agir rápido) com sono. Eu preciso de para cima de 10 despertadores para tirar o rabo da cama. Eu não sou pessoa de ouvir um choro e ter logo forças para me levantar e ir lá socorrer/acalmar/colocar chucha/alimentar. Não sou. Mas não tenho hipótese.

A privação de sono é um método de tortura por algum motivo. As consequências na nossa mioleira são assustadoras. Mas há que ver a coisa pela positiva, oferece-nos episódios dignos de sitcom.

Se não vejam:

  • Logo na primeira noite dos gémeos em casa, depois de concluirmos que eles só pegavam bem num dos biberões que tínhamos em casa, eu e o Pedro decidimos que tínhamos que ir comprar mais desses biberões quando eu digo «Vais lá hoje e compras mais biberões. Trazes logo 10 para não andarmos sempre a lavar. Quer dizer, 10 não que não é um número certo.». O olhar de what-the-fuck do meu marido ainda hoje me faz rir. Desde então cada vez que estamos cansados dizemos «10 não é um número certo, temos que ir dormir.».
  • Na nossa primeira saída a cinco fomos almoçar a casa da minha sogra. Estacionámos e começámos a saga de retirar bebés e pô-los no carrinho. Já estávamos dentro do prédio quando passam dois ciclistas que nos gritam “olhem, deixaram uma porta aberta!!”. Tínhamos deixado a porta do carro completamente escancarada e nem tinhamos olhado para trás para fechar o carro…
  • Há dias fui jogar no euromilhões. Como faço sempre, pedi para passar os boletins da semana passada antes. Vi no ecrã passar muitos SEM PRÉMIO até que vejo um número e exclamo toda contente “vá lá, este tem prémio!”. “Errr, não, este é o registo do boletim, é o que tem que pagar”. Ok.
  • Numa das noites, um dos gémeos bolçou o pijama do Pedro. Estávamos em plena época de caos de roupa por secar e não havia um pijama dele seco. Agarrei umas calças largas que tinha à mão para solucionar e dei-lhe. Na manhã seguinte quando o vi com os meus leggings de grávida vestidos não aguentei de riso.
  • A muda da fralda da noite dos gémeos é feita com a mesma perícia e cautela com que os assaltantes chiques roubam quadros nos museus. Tentamos que não haja barulho para não acordar o Gonçalo. Num destes dias numa dessas mudas deparámo-nos com um cocó daqueles com proporções dantescas na Leonor. O Pedro pousou o Duarte e ajudou-me. Envolveu muda de roupa e pousei a fralda na cama. De repente, o Duarte a espreguiçar-se prendeu o pé na cola da fralda nojenta da irmã e enquanto mexia as pernas arrastava a fralda devagarinho para um lado e para o outro por cima da colcha. Isto enquanto eu tinha a Leonor no ar para o Pedro a limpar bem. Tudo sem fazer barulho nenhum. Contivemos o riso (e o choro) o melhor que pudemos e no final de meia hora conseguimos ter todos deitados e uma colcha cheia de merda.
  • Esta acontece-me muito muito frequentemente: estou a dar biberão a um e o outro chora e dou por mim a abanar o que está a beber o biberão porque é o que quero fazer ao outro… Só me apercebo quando o que está a beber o biberão refila porque, parecendo que não, beber num todo terreno não é fácil!

 

Já fiz mais que não me lembro e não vou escrevendo… Do Gonçalo lembro-me que uma vez deitei leite acabado de extrair pelo cano porque ia lavar a máquina de extracção e guardar o leite e troquei-me. Tive uma crise de choro…

E por aí? Cenas hilariantes? Há que rir, para não chorar…

 

*O Pedro Abrunhosa dizia-o porque estava apaixonado. Eu também estou, mas digo-o porque estou cansada para xuxu.

4 Comments

  • Helena

    Olaaaa! Tambem sou mãe de um casal de gemeos agora com 3 meses!!! A tortura do sono é a pior parte! Passo a maior parte do dia a dizer coisas que não fazem sentido 😂😂😂 adoro o blog! Beijinhos

    Reply
    • Ana Sousa Amorim

      Olá! É verdade.. Pais em privação de sono mereciam uma estátua 🙂 Beijinhos e força!

      Reply
  • Inês

    Muitas vezes uso a expressão “chorar a rir” mas nunca me tinha acontecido literalmente chorar a rir.
    “(…) e no final de meia hora conseguimos ter todos deitados e uma colcha cheia de merda.” Ahhh, tão bom. Obrigada.

    Reply

Leave a Reply