Filmes

A Star is Born

Fui ver ontem e preciso de falar sobre ele.
Antes vou fazer as devidas observações:
1. Estou a falar sobre isto só para saberem que fui ao cinema. É que não saía de casa durante a semana depois das 18h há meses e a modos que gosto de festejar quando acontece.
2. Amo o Bradley Cooper desde a Alias (primeira série que saquei da net #jáprescreveu), ou seja, há 15 anos bam, belha) e obviamente já sabia que ele era um gajo incrível porque varri todas as entrevistas dele desde então (atentar em especial à com o James Lipton da Inside the Actors Studio).
3. Gosto de musicais. Acho que dizer que não se gosta de musicais está na moda e dá uma de intelectual mas eu não entro nesta. Eu adoro.
4. Remakes enjoam-me. Por norma não percebo e não apoio. Gosto de coisas originais, ideias novas, odeio o mastigar tudo vezes sem fim. E esta é a quarta versão do mesmo filme.

Feitas as ressalvas, digo-vos que adorei. Achei brilhante. Não vi nenhum dos outros três, não tenho comparação, mas achei que o próprio filme, no fim, descrevia na perfeição o porquê de se pegar numa história antiga. Realização muito boa. Interpretações soberbas.
É um melodrama, é um musical, é uma história de amor e é um excelente filme.
Ide ver: sozinhos, acompanhados, como quiserem. Eu levei a pessoa que me ensinou a gostar assim de cinema, a minha mãe, a minha primeira compincha de cinema e a melhor.

 

No Comments Found

Leave a Reply