Séries Tudo e Nada

This is me

Há dias perguntavam-me como é que eu tinha tempo para ver séries. No fundo, não tenho. Ontem, às 9h30 adormeci o último bebé acordado e estava livre. Trabalhei quase uma hora, às 22h20 estava toda lampeira no sofá pronta ver o regresso de This is Us quando descubro que os cabrões da Fox Life trocaram o prime time para as 23h10. Ora, era óbvio que devia pegar neste corpinho admoestado por semanas de privação de sono e atirar com ele na cama, mas liguei de novo o computador, continuei a trabalhar com a desculpa que compensava de manhã e dormia um pouco mais como se eu tivesse licença dos meus filhos para dormir até tarde. A Leonor, depois de ter feito uma noite de pausa no seu mestrado em «aterrorizar as noites dos meus pais», pediu desculpa por vacilar e dormir uma noite de doze horas. «Não se preocupem, não volta a acontecer». Quando terminei a série, corri para a cama, deitei-me e estava no parlapié com o Pedro a dizer que sim senhora, adoro a série, sim senhora há coisas que já não são o mesmo, mas sim senhora aquilo é tv de qualidade, quando a Leonor diz «queres ver o que é tv de qualidade, mãe?» Esgar. Chucha. Esgar. Chucha. Choro. Chucha. Trago-a? Leite? Gritos. Gritos. Ok, porra, trá-la antes que ela acorde os irmãos. Grande merda, devia ter vindo para a cama quando pude. A série não é assim tão boa. Disse para o Pedro: «Olha vai para o sofá da sala, isto vai ser difícil e tu precisas de descansar». Muito embalo, passeio e transferências para a cama sem sucesso depois, ponderei se não estaria com a fralda suja e eis que descobri que estava cheia de chichi no body (não perceptível debaixo das calças e collants). Ai filha, desculpa, a mãe troca-te já a roupa. O Pedro volta da sala porque a bem dizer também não se consegue adormecer quando existe alguém a gritar como no Psycho e trocamos a fralda debaixo de várias ordens de desespero um para o outro. Terminamos a operação e agora ela está tão possuída pelo demo que urge dar-lhe um biberão para acalmar a franga. A menina malha os seus 210 ml de leite por entre tosses e ranhos e no fim aceita finalmente ficar na cama ao lado da nossa sem chorar, a ver TV. Pedro vai para a sala, eu tento dormir com a luz da TV, ela que adormeça quando lhe apetecer. Antes de adormecer só penso «não sei como é que os irmãos não acordaram com o chavacal que ela montou». AI CARALHO, PORQUE É QUE PENSAS ESSAS COISAS, ANA, PORQUÊ? Aproximadamente dois segundos depois recebi uma SMS do Duarte a dizer «lol, mãe, lol» e por SMS quero obviamente dizer através de gritos histéricos de quem não come há três horas, mas sente que passaram 20. E depois de lhe dar o biberão que constatámos, adivinhem lá? Que o puto também estava molhado! Ora, mais uma troca/tortura básica capaz de acordar a terra, lá adormeceu. Não trocámos nem uma palavra, ele voltou para o sofá, nem ousei sequer pensar no mais velho e no estado semi-comatoso em que é preciso uma pessoa estar para não acordar com aquele nível de putedo, porque já acredito em tudo e acho que os meus filhos me lêem os pensamentos. Deitei-me eram quase duas da manhã e desmaiei. Pouco depois, meio a dormir desliguei a TV pois a miúda já tinha adormecido também. Passei a noite a acordar para lhe pôr a chucha. Conclusão: this is me, até vejo séries, mas claramente não devia.

No Comments Found

Leave a Reply